Divinolândia de Minas

Conhecida como Arraial do Divino, freguesia de Patrocínio de Guanhães, tem sua origem em 1887, quando surgem as primeiras edificações, feitas pelos devotos, moradores de uma capela dedicada ao Divino Espírito Santo e à Nossa Senhora da Glória, expressando a religiosidade de seus fundadores. A sede conta com duas belas igrejas, a centenária Igreja do Divino que foi recentemente restaurada e a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória. Pertence à Diocese de Guanhães.

Até hoje as festas religiosas são cultivadas, com destaque para o Jubileu de Nossa Senhora Aparecida, criado pelo padre Sebastião Socorro Costa, em 1980, então pároco da cidade. A festa é celebrada sempre entre os dias 3 e 12 de outubro, com grande participação de romeiros e romeiras que vêm de fora e dos moradores da cidade.  Além do famoso Jubileu, Divinolândia de Minas tem Rodeios e Carnaval, e o Fest Gospel todos os anos.

Primeiramente, antes de ser elevado à categoria de distrito, Divino de Guanhães, como era conhecido naquela época, pertencia até então ao município de Guanhães. Por força da Lei nº 843, de 07 de setembro de 1923, foi elevado à categoria de distrito, desmembrando do município de Guanhães e incorporando-se ao município de Virginópolis, passando a chamar-se Divino de Virginópolis.

O distrito foi elevado à categoria de município pela Lei nº 2.764, de 30 de dezembro de 1962, recebendo o topônimo definitivo de Divinolândia de Minas em 01º de março de 1963.

O nome do município, originou-se do culto ao Divino Espírito Santo, cuja imagem foi trazida pelos primeiros moradores que, construindo uma capela de pau a pique, no alto de uma colina, a fim de que pudessem celebrar os ofícios divinos, colocaram lá a imagem do santo, para onde se dirigiam todas as tardes.

Com uma altitude média na casa dos 700 metros, caracteriza-se por um clima agradável, longe dos padrões “calorentos” do Vale do Aço.


Galeria de imagens


sidebar:
Widget: Facebook 7:

Facebook