Zema defende ampliação do turismo religioso em Minas

Publicado em 26 de Fevereiro de 2019

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, defendeu a ampliação do turismo religioso em Minas, como uma das formas de alavancar a economia do Estado. A afirmação foi feita durante reunião da Comissão Episcopal de Pastoral, realizada nesta terça-feira (26) no Palácio Cristo Rei 1, em Belo Horizonte. O encontro contou com a presença de arcebispos metropolitanos e bispos de diversas regiões do estado, que discutiram diversos temas comuns entre a Igreja e o governo estadual.

Segundo Zema, um dos grandes exemplos do turismo religioso é o Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que atrai milhares de visitantes anualmente. “Vamos fazer um trabalho em conjunto nesse sentido. Queremos que o santuário seja visitado por milhões de pessoas. Minas tem potencial enorme no turismo, gera renda e tira as pessoas de situação de vulnerabilidade. Então é possível sim somarmos forças”, afirmou o governador.

Romeu Zema também recebeu, como homenagem, uma bandeira de Minas Gerais, que foi abençoada pelo papa Francisco, durante a Jornada Mundial da Juventude, ocorrida no Panamá, em janeiro deste ano, no fim de semana em que houve o desastre em Brumadinho. Na ocasião, papa Francisco fez prece aos mineiros afetados pela tragédia. A entrega da bandeira foi feita pela jornalista mineira Maria Emília Duarte, que cobriu o evento papal na América Central.

O arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, destacou o interesse da Arquidiocese em auxiliar o Estado no desenvolvimento do turismo. “Temos um patrimônio sacro que pode alavancar a economia por meio do turismo religioso. Fazemos um trabalho no santuário e sabemos que esse tipo de turismo é um dos que mais cresce e, assim, movimenta a economia. Podemos manter um diálogo para nos aproximar nessa atuação”, completou o arcebispo.

Foto: Renato Cobucci/Imprensa MG

content:
sidebar:
Widget: Facebook 7:

Facebook